ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos

Ouça Temas Bíblicos Agora:

Viciados em internet deixam filha morrer de fome

Um casal viciado em jogos de computador foi preso por ter deixado sua filha de três meses morrer de fome em casa para cuidar de sua "filha virtual" em um cibercafé. O caso, que chocou o mundo, aconteceu na Coreia do Sul. O crime ocorreu em setembro, mas os pais só foram presos na última terça-feira, segundo divulgaram nesta semana agências internacionais. O pai, Kim Yoo-chull, 41 anos, e a mãe, Choi Mi-sun, 25, deixaram a filha em casa em setembro do ano passado para jogar "Prius Online", um jogo parecido com o Second Life (na tradução em português, "segunda vida"). Nesse game, o jogador cria um personagem virtual chamado de avatar em um cenário criado na internet semelhante ao mundo real. O personagem pode andar, trabalhar, gastar dinheiro, comprar produtos, ir à festas, enfim, viver uma outra vida na internet. O game também é uma forma de interação social: o jogador também entra para conhecer pessoas. [Fonte: S.Paulo Agora/UOL]
Vício em internet é doença mental, afirma especialista:
Passar muito tempo enviando mensagens, checando e-mails e jogando games pela web pode não ser um bom sinal. Segundo o "American Journal of Psychiatry", mais que um vício, o uso excessivo de internet pode ser um distúrbio mental que deveria ser tratado como doença pela psiquiatria. Para Jerald Block, psiquiatra da Universidade de Ciências e Saúde Oregon, em Portland, os sintomas incluem a necessidade de sempre procurar equipamentos e softwares melhores, além de passar horas e mais horas on-line. De acordo com o editorial de Block, publicado na edição de março da revista especializada, os "viciados" podem perder a noção do tempo e chegam a esquecer de comer e dormir. O isolamento social também é outro sintoma apontado. O especialista vai além, e descreve as realidades virtuais e os jogos multiplayer como "heroinware" --junção das palavras heroína e software. No editorial, o autor cita pesquisas na Coréia do Sul realizadas após uma série de dez mortes em lan houses relacionadas a problemas cardiorrespiratórios --ao menos em sete da dez mortes as vítimas estavam participando de jogos on-line. Segundo o autor, o vício em internet se tornou um problema de saúde pública no país. Usando dados de 2006, ele afirma que o governo estima em 210 mil crianças o número de pessoas entre 6 e 19 anos que sofrem do problema e necessitam tratamento. Ainda segundo o editorial de Block, cerca de 80% destas precisam de tratamentos à base de medicamento psicotrópicos e, provavelmente, de 20% a 24% necessitam ser hospitalizadas. Para combater o problema, o governo sul-coreano já treinou mais de mil conselheiros para tratar os viciados em internet no país. [Fonte: FolhaOnLine]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por sua participação!

Postagens Populares: