ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos

Ouça Temas Bíblicos Agora:

IBGE: Número de brasileiros que veem muita TV é maior que o de praticantes de atividade física regular

Brasileiro saudável? Nem tanto. A imagem do brasileiro que cuida da alimentação e faz caminhadas pela manhã está longe de ser a mesma dos dados divulgados na quarta-feira (10) em pesquisa feita pelo IBGE.
A proporção de pessoas que ficam mais de três horas todos os dias em frente à TV ultrapassa o número dos que fazem o nível adequado de atividades físicas - 28,9% contra 27,1%.
Segundo o IBGE, o recomendado seria pelo menos 150 minutos (2h30) semanais de atividade física de intensidade leve ou moderada - como caminhada, musculação e hidroginástica. Ou de, pelo menos, 75 minutos (1h15) de atividade física de intensidade vigorosa, como corrida, os esportes coletivos no geral e ginástica aeróbica.
De acordo com a pesquisa, 21,7% das pessoas consomem doces regularmente (cinco dias da semana ou mais). Já 15% são fumantes, e quase um quarto (24%) consome álcool uma vez por semana ou mais.
Além disso, quase metade dos brasileiros (46%) são “insuficientemente ativos”, ou seja, não praticam atividades físicas ou se exercitam menos do que 150 minutos por semana.
Outro péssimo hábito dos brasileiros está no consumo excessivo de sal. Segundo o IBGE, 14,2% das pessoas consideram o próprio consumo do alto ou muito alto.
Doenças crônicas, como hipertensão arterial, estão diretamente ligadas ao excesso de sal no prato do brasileiro. Essa, inclusive, foi a doença que mais se destacou na pesquisa.
Com 21,4% dos brasileiros já diagnosticados como hipertensos, a condição ultrapassa os índices de pessoas que sofrem de diabetes (6,2%) e colesterol alto (12,5%).
O curioso é que, mesmo assim, 66,1% dos pesquisados avaliam a própria saúde como boa ou muito boa. [Fonte: Brasil Post]

Brasil é oitavo em acesso de crianças a conteúdo impróprio, diz pesquisa

Um estudo da Kaspersky Lab sobre conteúdo impróprio para crianças na Internet revela que o Brasil é o oitavo país do mundo com detecções deste tipo de material por programas de controle de pais. A pesquisa foi feita analisando dados de antivírus da Kaspersky equipados com tecnologia de Controle Parental contra temas perigosos e inclui países como Rússia, Índia, China, Estados Unidos e Alemanha.

Kaspersky Lab: Children Online 2015 revela dados sobre o Brasil (Foto: Reprodução/Kaspersky)

Os resultados encontrados demonstram que 68% dos usuários de Internet no mundo todo já encontraram algum tipo de conteúdo inadequado ou perigoso na Internet. Sites com pornografia estão em primeiro lugar (59,5%), seguido de jogos de azar (26,6%) e armas de fogo (20%).

O Brasil atingiu uma média de 105 bloqueios por usuário, mas é responsável por 2,66% dos bloqueios da lista, um número superior aos 1,99% registrados pelo relatório em 2013. Além do país, também estão na lista Rússia, Índia, China, Estados Unidos, Vietnam, Alemanha, Algeria, Reino Unido e França.
Brasil supera média mundial
De todos os perigos pesquisados, os mais frequentes no Brasil são salas de chat (75,93%) e conteúdo adulto (59,04%) – os dois únicos quesitos nos quais o país teve bloqueios acima da média mundial. Em outras categorias, como armas de fogo (15,48%) e jogos de azar (14,78%), a média brasileira foi menor.
A pesquisa também estudou os hábitos das crianças na Internet e descobriu que a atividade mais procurada por elas são jogos online, com 53% das entradas. Em seguida estão aprendizagem (38%) e mídias sociais (37%).
Brasil é o oitavo país com maior número de bloqueios de conteúdo adulto na Internet (Foto: Reprodução/Kaspersky)
Para proteger as crianças de ameaças online, a Kaspersky recomenda que os usuários utilizem programas com tecnologia de controle parental (controle de pais) e habilitem modos especiais para crianças em sistemas que permitam acesso a conteúdo multimídia como fotos, vídeos e streaming.
A empresa lembra, porém, que estas tecnologias não são eficazes contra sites e serviços seguros utilizados por pessoas com más intenções, como redes sociais. Contra estas ameaças, a melhor opção é educar as crianças para reconhecer e evitar perigos, sendo parte ativa de suas vidas reais e digitais.
O Kaspersky Study: CHILDREN ONLINE de 2015 está disponível completo, em inglês, em formato PDF (securelist.com/files/2015/03/Kaspersky_Lab_KSN_report_Children_Online_eng.pdf) na Kaspersky.
Veja as principais conclusões do relatório: 
Mais da metade (59,5%) dos usuários encontrou pornografia; mais de um quarto (26,6%) caiu em sites dedicados a jogos de azar; um quinto dos usuários se deparou com sites com armas; e quase o mesmo número foi confrontado por "linguagem forte".
Sites que carregam conteúdo impróprio (pornografia, jogos, armas, linguagem forte), juntamente com outros que caracterizam drogas, tabaco e álcool, foram os mais frequentemente bloqueados por soluções de proteção da Kaspersky Lab. A frequência das detecções demonstra como é fácil se deparar com tais conteúdos online, já que quanto mais elevada a frequência, maior a probabilidade.
Os países com as mais frequentes detecções de Controle Parental foram China, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Rússia. O Brasil está entre os dez primeiros da pesquisa, em oitavo lugar e, em 2014, registrou uma média de 105 detecções por cada usuário. [Fonte: TechTudo]